SUPLEMENTAÇÃO CARBOIDRATOS

Olá pessoal, tudo tranquilo com vocês? Vamos dar continuidade ao assunto carboidrato abordando os diferentes tipos de suplementos desse nutriente:

MALTODEXTRINA: um dos mais conhecidos e usados quando falamos de carboidratos, se trata de um carboidrato de tamanho intermediário (oligossacarídeo), ou seja, de mais lenta absorção que pode ser interessante para exercícios de longa duração. Pode ser utilizado como pré, durante e pós treino e sua forma de consumo é como bebida já que se trata de um pó que deve ser dissolvido em água em proporções adequadas.


DEXTROSE: também é relativamente conhecido dentro do meio esportivo, porém, se trata de um carboidrato simples, sendo assim, de absorção rápida. É mais indicado para períodos pós-treino pelo fato de apresentar índice glicêmico muito elevado. A forma de consumo é a mesma da maltodextrina, diluído em água.

WAXY MAZE: esse atualmente parece ser um dos queridinhos dos consumidores, porém, ele nada mais é do que um tipo de amido chamado de amido de milho ceroso. É considerado um carboidrato complexo, contudo por possuir muitas ramificações em sua cadeia, a absorção é mais rápida e o índice glicêmico mais alto também. Pode ser consumido ao término das práticas de exercício físico, também diluído em água.


PALATINOSE: outro produto bem em alta atualmente. A palatinose é um dissacarídeo, ou seja, um carboidrato simples, mas sua absorção é muito lenta devido à ligação entre as moléculas de glicose e frutose ser diferente em relação às que estão na sacarose (açúcar). É uma ligação mais difícil de ser quebrada pelas nossas enzimas e por isso sua absorção é lenta. A palatinose propicia uma liberação de glicose lenta e gradual, logo fornece energia por um período maior de tempo, sendo mais indicada para exercícios de longa duração. No quesito praticidade, se trata de um pó que deve ser diluído em água, ou seja, muito fácil de ser preparado e consumido também.

GEL DE CARBOIDRATO: se trata, na minha opinião, do mais prático de todos pelo fato de já estar pronto para consumo e ser pequeno e leve quando consideramos as opções por exemplo, para durante o treino. Em relação a composição, costuma ser uma mistura de diferentes tipos de carboidratos, o que é interessante, pois utiliza mais de uma via de absorção, auxiliando na velocidade de chegada até a corrente sanguínea. A forma de consumo é muito simples, são em sachês que após o consumo, são descartados (SEMPRE EM LOCAL PRÓPRIO E NÃO NAS RUAS, CALÇADAS E VEGETAÇÕES). Uma diferença desse produto com relação aos anteriores, é que existem várias opções que possuem substâncias “energéticas” em sua composição como por exemplo, cafeína.

BARRA ENERGÉTICA: podemos dizer que é “prima” do gel pela praticidade, mas normalmente o peso da unidade é maior, sendo assim, um aporte maior de carboidratos por porção. Na sua composição encontramos também uma variedade de fontes de carboidratos, inclusive pedaços de frutas e cereais a depender da marca do produto. Pode não agradar a todos, principalmente durante o exercício, pelo fato de sofrer maior influência da temperatura ambiente, e isso prejudicar a textura e paladar do produto. Falando de velocidade de absorção, como estamos falando de um sólido, esse tipo de produto sempre será mais lento quando comparado a qualquer líquido.


Pessoal, considerando tudo que foi abordado até o momento, acho importante fazer algumas observações:


É muito comum o questionamento sobre o índice glicêmico de alimentos e sua relação com o esporte e até mesmo emagrecimento. Nesse sentido, precisamos levar em consideração que a partir do momento que você faz uma mistura de alimentos, o índice glicêmico do alimento A precisa se levado em consideração juntamente com o índice glicêmico do alimento B, resultando na carga glicêmica. Então consumir por exemplo algo que contenha açúcar refinado com farelo de aveia, vai resultar em uma resposta glicêmica mais lenta, resultado das características desses dois alimentos juntos! Lembrando que proteínas e gorduras também estimulam a insulina, porém, em uma intensidade bem menor que o carboidrato!


Outra questão importante antes de demonizar os carboidratos simples é o contexto onde ele está inserido. Será que é interessante eu sugerir para o paciente um carboidrato de absorção lenta como pré-treino sendo que essa refeição acontece 30 minutos antes do treino começar? Durante o exercício, deixar esse processo de absorção mais lento é interessante em um momento de grande demanda energética? Absorção mais lenta não pode contribuir com sensação de estômago e intestino pesados e isso atrapalhar o desempenho do atleta?

Quando falamos em suplementação de carboidratos, principalmente durante o exercício, acho importante considerar quais alimentos cumpririam seu papel nutricional naquele momento, mas que também seja prazeroso para o atleta, considerando que ele está uma situação de esforço/desconforto, consumir algo que ele goste pode sim contribuir positivamente no seu desempenho.

Assim encerramos nossos tópicos sobre carboidratos, fiquem ligados nos próximos assuntos que serão abordados por aqui!


Um grande abraço a todos, Luis Gustavo e Mariana.

Fone: (11) 94992-9599

E-mail: consulta@dnanutricao.ntr.br

Luis Gustavo Domingues – CRN-3 57945

Bacharel em Nutrição pela Centro Universitário Saúde ABC (FMABC)

Pós Graduado em Nutrição Esportiva pelo CEFIT Centro de Estudos de Fisiologia do Exercício e Treinamento

2º colocado no SIECS 2019 Simpósio Internacional de Educação em Ciências da Saúde organizado pelo Centro Universitário Saúde ABC (FMABC) com o tema EFEITOS DO CONSUMO DE ÔMEGA-3 EM PRATICANTES DE ESPORTES DE LONGA DURAÇÃO.

Participações em Congressos de Nutrição Esportiva, cursos de especialização e palestrante. Atendimentos em Nutrição Clínica e Esportiva pela Consultoria DNA NUTRIÇÃO.


Profa. Dra. Mariana de Rezende Gomes – CRN-3 8391

Nutricionista formada pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP)

Mestre em Ciências dos Alimentos pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP)

Doutora em Ciências pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP)

Professora das disciplinas de Nutrição Humana e Nutrição no Esporte do Centro Universitário Saúde ABC/FMABC

Coordenadora do Curso de Nutrição do Centro Universitário Saúde ABC/FMABC


20 visualizações

Razão social

CNPJ: 19.989.357/0001-72

Desenvolvido por

Logo-D+UM-branco.png
LOGO_WHATSAPP.png